Arquivo do mês: setembro 2007

Dia do Programador


O Dia do Programador é uma data festiva no 256º dia do ano, celebrada por programadores de computador em boa parte do mundo. Esta é uma data significativa para programadores porque 256 é igual a 28 (2 elevado à 8ª potência), e 8 é o números de bits de um byte.

O Dia do Programador é dia 13 de Setembro, exceto em anos bissextos, nos quais ele é comemorado no dia 12 de Setembro, pois esse é o 256º dia do ano.

Mundo afora a tradição inclui comportar-se de forma boba, editar a Wikipedia, codificar programas bobos, jogar jogos de computador, brincar com velhos computadores etc. Tudo isso, é claro, sob a condição de que o celebrante tenha feito códigos de qualidade nos outros dias do ano e tenha tentado ao máximo não se comportar como bobo nos outros dias. Para estes programadores que estão habituados a ‘celebrações’ em todos os dias de sua vida, esta data festiva é injustificada e redundante.

No Brasil

No Brasil a tradição ainda não existe, mas a data já se apresenta em spams por e-mail, fazendo com que a leitura de algum Spam também seja parte da celebração. Além disso, no meio acadêmico a data deve proporcionar um encontro dos primeiros programadores locais com os atuais, promovendo palestras e minicursos de linguagens que não são mais utilizadas, além de Assembly, Cobol e Fortran, para que suas sintaxes não sejam esquecidas no futuro próximo.

Conversar sobre programação com quem não entende nada e assistir a filmes apreciados por programadores como Guerra nas Estrelas também devem fazer parte dessa celebração.

Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Dia_do_Programador

Anatomia de um Programador

O poder da informação


Compartilhar Conhecimento

Não gosto muito de escrever sobre coisas obvias, mas há momentos que mesmo o óbvio parece novidade. Todo mundo sabe que conhecimento é poder, e que o poder pode em alguns casos ser mal utilizado.

Partindo deste princípio podemos concluir que centralizar o conhecimento em apenas uma pessoa é o mesmo que entregar todo o poder à ela. Mas o que ocorre então quando esta pessoa que detém o conhecimento (poder) resolve não mais colaborar com o resto do grupo e resolve então “partir” deixando todos à ver navios. Péssimo não é ?

Mas parece que algumas empresas ainda não perceberam isso, principalmente no que diz respeito à informática e tecnologia. Hoje qualquer empresa, seja ela pequena, média ou grande utiliza-se de sistemas informatizados para tomada de decisões, que incluem desde a compra de produtos e serviços até investimentos financeiros, passando pela contabilidade e pelo controle de estoque.

Até aí problema nenhum, os sistemas de gestão servem para isso, auxiliam o empresário na dificil tarefa de administrar a empresa. O problema começa justamente na implantação destes sistemas. Quando a empresa decide centralizar todo o conhecimento sobre o sistema em apenas uma pessoa (leia-se Gerente de TI) acaba ficando “refém” deste “ser” que se acha o “dono da cocada-preta”. E depois de ter dominado todos os processos, cobra caro sua permanência na empresa.

Criar formas para democratizar o conhecimento dentro do próprio setor de informática é extremamente importante, pois desta forma qualquer colaborador do setor poderá atuar na solução de problemas sem que haja perdas para a empresa.

Esta atitude deveria partir dos próprios gerentes de TI, pois com essa política, sobra tempo para inovar e também melhorar as tecnologias existentes.

Infelizmente alguns acham que ao ensinar ou compartilhar o conhecimento correm o risco de serem demitidos e “trocados” por aquele funcionário que ganha menos.