Arquivo do dia: março 8, 2011

Licenciatura em informática, para quê(m)?


O ano era 2003 e eu procurava na internet opções de cursos de graduação na área de informática que podiam atender minhas expectativas profissionais e pessoais. Então me deparei com o curso de Licenciatura em Informática que na época era oferecido em Goiás pela UEG nas unidades de Silvânia, Sanclerlândia e Posse. Transcrevo abaixo informações sobre o curso disponíveis no site da Universidade Estadual de Goiás.

“Visa uma formação sólida e abrangente de educadores, na área de informática, enfatizando os aspectos científicos e técnicos, bem como pedagógicos e sociais.

O profissional licenciado em informática é um educador, capacitado para o ensino de informática no Ensino Fundamental, assim como no Ensino Médio e profissionalizante. Detém uma formação favorecida pela utilização da informática educativa. É um profissional com sólida e ampla qualificação científica e pedagógica capacitado a acompanhar a evolução das novas tecnologias na área de informática educacional.”

Ao ler estas informações fiquei muito interessado em fazer o processo seletivo e ingressar neste curso. Fiz a inscrição para o vestibular e escolhi a cidade de Silvânia para fazer o curso, apesar de ficar a 70 quilômetros de Anápolis.

Minha identificação com o curso me motivou a fazer a prova, mesmo sabendo das possíveis dificuldades que poderiam aparecer. Prestei o vestibular e fui aprovado, foi a primeira vez que tentei e minha alegria foi proporcional a minha preocupação com o futuro que me aguardava. Na época eu já era casado, com dois filhos e várias responsabilidades. Nada disso me fez desistir da ideia de ser um professor de informática. Fiz minha matrícula e iniciei o curso em 2004.

Infelizmente um ano depois, várias dificuldades com transporte e problemas para acompanhar as aulas me fizeram mudar de curso e também de faculdade. Entrei no curso de Tecnologia em Desenvolvimento de Sistemas que concluí em 2007.

Hoje sou professor substituto de informática no IFG e também na faculdade Anhanguera, de certa forma eu consegui atingir meu objetivo e estou feliz com isso. Mas nos últimos dias uma grande preocupação tem atraído minha atenção novamente para o curso de Licenciatura em Informática. Depois de navegar em alguns sites na internet, notei que haviam vários cursos nesta área, inclusive em modalidade EaD. Procurei então pesquisar mais sobre o assunto e cheguei até o site do INEP (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira) e fiz o download de um arquivo contendo informações acerca da educação superior no Brasil.

Meu foco foram os números relacionados à Formação de Professores de Computação (Informática) e os reuní na relação abaixo:

Cursos presenciais oferecidos: 58

N.º de vagas oferecidas em cursos presenciais: 3.379

Matrículas em cursos presenciais: 4.402

Concluintes de cursos presenciais: 597

Cursos EaD oferecidos: 3

N.º de vagas oferecidas em cursos EaD: 810

Matrículas em cursos EaD: 1.044

Concluintes de cursos EaD: 39

Estas informações são relativas ao ano de 2009 e mostram que existem no Brasil vários cursos de formação de professores em informática que oferecem milhares de vagas. Se juntarmos o número de concluintes dos cursos presenciais e EaD teremos 636 professores de informática no mercado de trabalho.

Minha dúvida é se estes profissionais estão sendo absorvidos pelas escolas em geral, por isso resolvi escrever este texto e levantar uma discussão acerca da inserção da disciplina de informática no ensino regular e os cursos de Licenciatura em Informática e Computação.

No texto que transcrevi anteriormente está escrito “O profissional licenciado em informática é um educador, capacitado para o ensino de informática no Ensino Fundamental, assim como no Ensino Médio e profissionalizante”, mas quando trabalhei em um centro de educação profissional em 2008, havia apenas uma professora com o curso de Licenciatura em Informática, que por sinal foi minha colega na graduação. O restante de nós eram todos bacharéis, tecnólogos e até técnicos. No instituto federal onde trabalho a realidade é a mesma, hoje não existe nenhum professor de informática que possua o curso de licenciatura nesta área.

Esta questão para min ainda está em aberto e continuarei a procurar respostas pois acredito que se existem cursos de graduação que visam a formação de professores de informática é por que existem vagas a serem preenchidas, pelo menos é isso que espero.